quinta-feira, 26 de novembro de 2015

XXI Governo: sobre o discurso de António Costa

António Costa no discurso de posse (Foto: Presidência da República)
António Costa fez um bom discurso de tomada de posse. Descontada esta ou aquela discordância que possamos ter, teve densidade política e disse o que tinha de ser dito.
Do que disse de significativo, destaca-se desde logo que o Governo empossado emana do Parlamento, reconhecendo a soberania ao voto popular e respeitando o “sentido claro da votação”.
Mais: “O Governo provém da Assembleia da República - e é perante a Assembleia que responde politicamente”.
Do que disse, sublinha-se a ruptura com a tradição da alternância sem alternativa: “A democracia portuguesa ficou demasiado tempo refém de exclusões de facto, que limitavam o leque de soluções políticas possíveis e defraudavam o sentido do voto de boa parte dos nossos concidadãos”.
Como “este Governo nasceu da recusa da ideia de que não haveria alternativa à política que vem sendo prosseguida”, do que se espera agora é que “assuma como sua linha de orientação a mudança das políticas”.