terça-feira, 10 de agosto de 2010

Época de incêndios

Percebe-se que, à falta de outros assuntos ou por causa de outros assuntos, mas também pela intensidade dramática que os incêndios sempre geram numa sociedade que tem a memória sempre muito curta, a máquina mediática se centre na crise estival dos fogos florestais. E que o ministro titular da Administração Interna venha com o discurso recorrente da comparação estatística. Ainda esta manhã, Rui Pereira veio dizer que este ano a área percorrida por incêndios é menor do que a registada em 2003 e em 2005. Ainda bem.

Estamos mal quando o poder político necessita de justificar-se em razão do hectare ardido. A floresta e o ambiente são muito mais complexos do que isto. Mas a "época de incêndios" também necessita de renovada justificação nas agendas...