sexta-feira, 25 de junho de 2010

Fwd: Aminetu Haidar - ''O mundo é mais pobre sem José Samarago''

Aminetu Haidar
''O mundo é mais pobre sem José Samarago''



El Aaiun (Sahara Ocidental ocupado), 24/06/2010 (SPS) A presidente do Colectivo dos Defensores dos Direitos Humanos Saharauis (CODESA), Aminetu Haidar, afirmou segunda-feira que "o mundo inteiro tornou-se mais pobre com o desaparecimento do Prémio Nobel da Literatura, o escritor português, José Saramago", que faleceu na sexta-feira passada na sua casa em Lanzarote (Espanha) com a idade de 87 anos.

"O desaparecimento de José Saramago não é apenas uma perda para a humanidade, mas também uma perda para todos aqueles que lutam cada dia pela sobrevivência, a igualdade e o respeito dos direitos humanos. Ele estará sempre connosco", escreveu a activista saharaui Aminetu Haidar em carta de condolências dirigida a esposa do escritor, Pilar del Rio, e a sua filha, Violante Samarago.

Recordo-me bem dos seus conselhos quando me visitou em Lanzarote durante a minha greve de fome, nesses momentos difíceis" - lembra.

"O legado de Saramago, viverá eternamente no espírito de milhares de gerações, é um repositório de amor pelos valores humanos, o respeito da vida humana e a dignidade", refere ainda a activista saharaui na sua carta.

"O povo saharaui lembra-se e lembrar-se-á para sempre do apoio incondicional de José Saramago para com a sua luta pela autodeterminação e os direitos do Homem", escreveu também o SG da Frente POLISARIO e Presidente da RASD, Mohamed Abdelaziz, na carta de pêsames que enviou à família do escritor português lembrando o apoio de Saramago a Aminetu Haidar durante a greve de fome e os esforços que ele pessoalmente desenvolveu para que a activistas "pudesse regressar a sua casa em El Aaiun com toda a dignidade".

Informação divulgada pela Associação de Amizade Portugal-Sahara Ocidental
24-06-2010