sábado, 20 de fevereiro de 2016

De Domingos Abrantes, para reter, duas reflexões muito importantes


Numa grandíssima entrevista publicada hoje no “Diário de Notícias”, respondendo a Valentina Marcelino, Domingos Abrantes diz isto (excerto da primeira parte):  
“No tempo do fascismo, durante o qual ele foi ministro, eu estava na cadeia. Hoje, no Portugal de Abril, para o qual ele não contribuiu obviamente, ele pode ser conselheiro de Estado, deputado... resta saber se Adriano Moreira tira alguma conclusão da diferença.

Mais adiante, questionado sobre as reacções anti-comunistas perante o acordo com o PS, acrescenta (excerto):

“Agora o anti-comunismo ressurgiu com uma virulência enorme. Muita gente tirou a máscara. Mas para nós, o problema não é tanto em relação ao partido, pois sempre vivemos com isto. A maior preocupação é com o que isto pode significar em termos de ameaça à democracia.”