terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Sobre a ideologia do pragmatismo


Ao longo de 20 anos de exercício de poder político (dez no Governo, outros tantos como Presidente da República), Cavaco Silva não fez outra coisa senão erigir os interesses dos mercados e o pragmatismo de aço dos interesses capitalistas como centro de um programa ideológico inabalável e irredutível.
Não há pior perversão em democracia do que negar o fundamento ideológico das opções, dos objectivos e dos programas e exibir o pragmatismo tecnocrático como fonte de virtude alternativa a tais fundamentos, porque a indiferença quanto a valores essenciais e a direitos fundamentais é, em si mesma, uma atitude profundamente ideológica.
Posto isto, está bem de ver que são perfeitamente dispensáveis a lições de S.ª Exa.

.