domingo, 11 de outubro de 2015

Não há pachorra

Foto do perfil do actor no Fecbook


Se Richard Gere se tivesse dado ao trabalho de "limitar-se" a fazer um sério trabalho de campo observando os sem-abrigo reais, munido de um bom caderno-de-notas e de razoável espírito crítico, em vez de simular ser um deles para o people do "Facebook" ver, talvez fosse capaz de enriquecer realmente a interpretação da personagem.

E se, em vez de apregoar a filantropia às mãos-cheias de dólares para alimentar a plateia, investisse um pouco no estudo das causas e se empenhasse em algo que ajude a combatê-las, bem nos dispensaria da exibição interesseira desta caridade gabarola e hipócrita.

.