quarta-feira, 21 de maio de 2014

Uma questão de higiene política


A decência aconselharia a que o Governo já tivesse publicitado a chamada "carta de intenções" remetida ao FMI. 
Como não há decência, há que exigir que o faça de imediato, antes e por causa das eleições europeias.
Já é uma questão de higiene política. E para evitar embaraços como o do irrevogável Portas, hoje, sobre a privatização da Caixa Geral de Depósitos.

.