quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Sobre o acórdão do "processo Casa Pia"

O chamado Processo Casa Pia apanhou-me, logo nos seus primeiros afloramentos, em plena fase de reflexão e de diálogo interprofissional com os diversos operadores da Justiça.
Depois das declarações que, sobre o assunto, tive de fazer e dos documentos que tive de escrever ou subscrever na altura, tenho acompanhado o caso com discrição e ultimamente tenho-me mesmo abstido de dizer ou escrever o que quer que seja.
Esperava o "desfecho" do caso, sobre o qual ainda se há-de escrever muito. Mas esperava especialmente a oportunidade de ler com paciência e ponderação o Acórdão do colectivo que julgou o caso em primeira instância, ainda que não seja indiferente às trapalhadas processuais que o têm perturbado.
Por essa razão, não posso deixar de lavrar um protesto pelo que está a acontecer com o Acórdão, cujo texto parece não estar, afinal, fixado e pronto a distribuir às partes e a ganhar a prometida publicidade.
Por muito que colham as desculpas das falhas da informática - ah!, a Informática, essa estranha força oculta! - receio que a opinião pública não se sinta nunca mais esclarecida sobre tudo isto. E, sobretudo, que continue a pairar uma nuvenzinha sobre tudo isto.
É pena, tudo isto.
.