terça-feira, 6 de abril de 2010

Letras e contas quanto baste e para quem devem ser

Para terem uma ideia da restrita utilidade das letras...
"Sou por um mestre, já não digo em cada terra, que seria ciência supérflua e perigosa, porquanto os livros se propagam o bem também propagam o mal, mas ao menos uma escola em cada vila onde os senhores morgados, os fidalgos, e mesmo aqueles que dispõem de alguns teres, vão aprender a ler, escrever e a fazer as contas dos gastos e receitas da suas casas."

Aquilino Ribeiro, "Casa do Escorpião" (Da fala do Morgado de Fraião)